quinta-feira, 19 de janeiro de 2006

Escrever

© Reservam-se os direitos da imagem ao autor floris andrea

Não digas a ninguém que estou aqui…é que as pessoas não sabem que eu escrevo, que penso sequer.
Não te preocupes comigo, enquanto estiver rodeada de palavras, frases e livros, não estou sozinha.
Se passares por mim e não me conheceres, é o peso dos problemas, pensar é uma chatice…começamos por questionar pequenas coisas e aos poucos vamos ficando prisioneiros desses gestos.
Não interessa o que faço, interessa o que escrevo neste momento, porque é no “agora” que está a importância do amanhã.
Não me julgues pela aparência, porque há pequenos nadas que dizem muito mais e há palavras que somam ideias e ideais.
Por falar em ideias e ideais, sinto que há muita falta disso nos dias que correm…

3 comentários:

M&A disse...

Concordo com o que escreveste e fica descansada eu não digo que este blog é teu, vi-te no mixtu, achei que eras professora, parece que não, fico mais descansado.

Louco de Lisboa disse...

Bolas...

Venho a descer como te disse, e parece que este post é uma resposta ás palavras que te deixei momentos antes!

Adiante...

Mais um beijo e até outro instante.

Rafa disse...

CIEGO

Tú me das todo aquello que precisas,
me regalas lo que no te puedo dar,
me entregas con tu llanto tus sonrisas,
vuelas conmigo aunque no puedo volar.

Te desnudas más allá del cuerpo solo,
te obsequias más allá del corazón,
aún sabiendo que yo no te doy todo
y sabiendo que no doy la explicación.

Por todo eso que me das y yo te niego,
porque solo soy yo el que lo recibe,
yo quiero darte la mirada de este ciego,
que solo puede verte cuando escribe.


Rafael
15 de Febrero de 2006