quinta-feira, 16 de março de 2006

Desencontro


© Fotografia: Olhares

Chegámos ao Zeno das Docas, aconchegámos a alma em caipirinhas, comemos picanha e dançamos forró.
O teu olhar era terno, doce, aquele que qualquer mulher é incapaz de resistir e dizer não.


-Essa camisa fica-te muito bem. – digo eu com um certo brilho nos olhos, provavelmente embebida de ti muito mais do que das caipirinhas que se repetem.

Tu sorris e afirmas que é apenas uma camisa...o teu olhar está colado nos meus lábios...quase a implorar um beijo, e eu deixo-me embalar. São quase três da manhã, a música continua. Detesto Lisboa, mas contigo ao meu lado tudo parece ter outra cor.
Por momentos acredito que a felicidade pode ser eterna, não quero pensar no futuro, mas acredito que o amanhã vai ser ao teu lado, com velas acesas e o cheiro a rosas no ar.
Beijas-me com uma ansiedade que dói, como se aquele momento fosse o último prazer da tua existência e eu acredito que me amas.
Nessa noite não consegui dormir. Dividida na incerteza de te amar ou apenas desejar. Não respondes às minhas mensagens e por momentos chego a respirar de alívio por não ter deixado que nada mais acontecesse entre nós.
Os dias seguintes transformam-se numa agonia desesperante. O querer respirar e não conseguir, olhar para o telemóvel de dois em dois segundos, mas só encontrar a tua ausência.
E eu que julgava que a minha adolescência tinha sido vivida até ao limite, sentia-me mais uma vez uma adolescente à espera de um ‘Olá’ ruidoso de um jovem adolescente (também) mas bruto, como todos eles são!
Uma semana depois consigo finalmente cair em mim, percebo que a necessidade de diálogo que eu tenho, é a mesma vontade que tu tens de te ausentares ainda mais. De fugir de alguma réstia de desejo que não tenhas conseguido exorcizar.
Ligo à Ana, choramos as duas em coro...afinal na mesma tarde do “criminoso jantar”, tinha ouvido uma história parecida e por incrível que pareça, consegui dar conselhos e sugestões, um sorriso e um abraço apertado para lhe mostrar que estava presente.
Mas também a Ana me parecia ausente, talvez a reviver nas minhas dores, as dores que ela ainda não tinha conseguido sarar.
Não sei ainda o que me custa mais...a evidência de que fui enganada ou a certeza de que me deixei apaixonar pelo maior vagabundo que conheci nos últimos tempos. Arrepio-me só de pensar nisto!
Devíamos estar equipados com sinais sonoros ou luminosos que nos indicassem o perigo de pessoas sem carácter no nosso caminho.
Sinto-me de dia para dia mais sozinha, mais perdida. As noites começaram a ser em claro e os dias pesados como o céu de inverno, triste e chuvoso.
Já não tenho notícias tuas há três semanas e choro de arrependimento e raiva por cada mensagem que te enviei e não obtive resposta. Faço promessas a mim mesma que não vou voltar a fazê-lo, mas sempre que olho para o telemóvel sinto um nó no estômago. Maldito vício deste século, vício que nos consome, como uma droga que mata lentamente.
Não quero admitir, mas sinto-me doente. Devoro livros noite após noite e tento acalmar as minhas dores através dos personagens dos livros, nos quais consigo sempre encontrar uma semelhança com o Tiago.
Não deve ser difícil encontrar semelhanças entre homens que se sentem tão perdidos que acabam por atingir tudo o que os rodeia, fazem lembrar animais selvagens feridos. Atacam tudo o que encontram pela frente, não sei se por desespero ou por vingança.
Coitados, quero acreditar que têm sentimentos, talvez se sintam mais seguros, mais másculos, mais homens nas fugas!
Agora estou a ser injusta, eles (homens) não são todos assim, não. Existem os ávidos por um casamento e alguém a quem possam chamar “mulher”. E quando julgam que a encontraram, cruzam os braços e limitam-se a viver as suas vidinhas.
Acho que o que os caracteriza a todos é serem mesmo muito limitados. Carentes os independentes; apaixonados ou desesperados; sinceros e sensíveis ou mentirosos e brutos são limitados nos sentimentos e na maneira de sentir. Conseguem olhar para uma mulher como quem regala a vista num doce tradicional, num carro topo de gama série especial ou noutro qualquer delírio que lhes produza uma reacção física de animal cobridor!



[Estória recuperada dos ficheiros da Joana. Escrita em Junho 2003]

52 comentários:

Andreia Ramos disse...

ha homens que parecem que têm gosto em brincar conosco!a vida e dura!beijinho!

chuvamiuda disse...

......doce Joana, aqui tens um exemplar da espécie, não me parece de todo que eu seja melhor que qulaquer um desses exemplares que desrcreveste, mas se me permites, a dor da perda é para qualquer um, uma coisa séria, se ela será vivida no femenino ou no masculino com mais intensidade não sei, nos encontros e desencontros, estão sempre presentes duas personagens, a mulher e o homem, é uma constante, num filme em que a sedução e os sentimentos, fazem parte do argumento, o problema esta na contracenação entre ambos (os actores) nem sempre se parte ao mesmo tempo, e nem sempre estão ambos presentes à chegada......

Beijinho e um bom dia para ti

Fernando Pinho disse...

E porque nem todos somos uns brutos, obrigado pelo texto.

Um conselho: Mantém aberta a gaveta destas delícias literárias.

Continua desta forma a surpreender-nos.

Beijinho

Alma Minha disse...

Quando começo a ler um post teu, nunca sei se é realidade ou ficção... é um dom que tu tens...
Bom fim de semana!
Bjs

Su disse...

Eu acredito que ainda existem algumas excepções à regra... mas a perfeição não existe...

bjinhoxx

Rafa disse...

SENTIDORES


Me reconozco como un sentidor. No quiero decir que sea un sentimental, que a veces también lo soy, sino que soy alguien que siente, más allá de los cinco sentidos.
No soy especial por eso ni pretendo serlo, está claro. Tiene que haber muchos hombres como yo, muchos sentidores, pero yo creo que nos cuesta decirlo.
He pensado en la diferencia que encuentro entre la forma en la que la mujer dice que ama y como lo hacemos los hombres.
Y pensé en un verbo que oigo conjugar con mayor frecuencia a ellas que a nosotros: Entregar.
Cuando una mujer dice “Me entrego a ti” quiere decir que lo da todo, que abre todas sus puertas y ventanas, que no deja nada ahorrado en la cuenta, que se vacía en él.
Los hombres no solemos percibir esto, acostumbramos a ausentarnos de este sentido y en muchas ocasiones no entendemos su significado despreciando (sin querer o queriendo) la esencia misma de esa entrega.
Por eso creo que somos menos amantes y más amados.
Por eso creo también que la mujer, cuando descubre que ese hombre al que se entrega no se lo merece, sufre más que cuando nos pasa a nosotros. Porque yo creo que nosotros no sabemos, no somos capaces o no queremos ser mujer en el amor.
Y a pesar de saber que esto es una generalidad pensada quizás solo por mi, yo, que soy un hombre, lucho por sentir y entregarme, peleo conmigo mismo muchas veces para tratar de ser más mujer.
Y no estoy hablando de cambio de sexo, claro.
Solo de cambiar el sentido.
El de sentir.
Ser sentidor.


Rafael
14 de Diciembre de 2005

chuvamiuda disse...

......apenas para matar saudades.....

Beijinho bom fim-de-semana

spartakus disse...

bolas Joana...eu num sou bem assim...nem gosto de carros...
bfsemana e nem sei se te posso dar 1 bjinho.

lena disse...

desencontros que nos magoam às vezes muito

gostei do texto, está excelente e surpreendeu-me pela positiva, reparei quando foi escrito

beijinhos muitos para ti


lena

blue note disse...

Estória real e tão comum a todos nós. Sei do que falas e estou obviamente de acordo, com as excepções que confirmam a regra.

Beijos minha querida
muitos
muitos

Zeca disse...

Os desencontros fazem parte da Lua e da vida.
Mas a raça Homem até é bastante tolerante.
Como diz o Fernado Pinho, deixa sempre a gaveta aberta para que entre o ar do mar.

Alexandre o Grande disse...

Em parte é verdade!

Há pessoas assim, tanto homens como mulheres!

amigona disse...

adorei ler!!!

chuvamiuda disse...

.....beijinho e noite tranquila.....

dreams disse...

quem nunca teve uma história assim?
revi-me nas tuas palavras...
... e porque não sou todos iguais... ainda há esperança ;)

um beijo *
“·.¸Dreams¸.·”

michelín amarillo, ave migratoria disse...

¿Cómo haces para tener tántos comentarios?

Me gusta tu lema.

Saludos.
Comenta algo en mi blog, por fa ...

Rosmaninho disse...

Joana, Linda!

Estória recuperada!...

Infelizmente eles são todos assim.

Felizmente, Homens não fazem estórias destas!...
Só eles!...

Continua a recuperar estórias, gosto de as ler.
~*Um beijo*~

Tetracloro disse...

Beijinhos Clorados.

Isa&Luis disse...

Olá:)) gostei muito do texto.

Desencontros desencantos existem tanto nos homens como nas mulheres,mas que doi doi....

beijinhos meus

:=] disse...

:=]

Azenhas disse...

A droga de que falas chama-se amor.
Corre-nos nas veias à milhares de anos. É tramado e já quase me levou à loucura.
desde aí passei a olhar para as histórias de romeu e julieta de outra forma.

saisminerais disse...

Ola joana
quando acabei de ler esta tua vivencia de uma noite mal acabada, sem happy-end, fiquei uns momentos a pensar... Realmente existem alguns exemplares assim! Ainda bem que não serve uma carapuça destas.
E eu a pensar que o facto de não ter tido o sucesso desejado, era triste demais... Comparando, até me devo de sentir feliz, afinal acabei ganhando uma amiga para o coração.
Não sou muito de dar conselhos sem que me perguntem, mas não feches a porta! Existe um ditado que diz, fecha-se uma porta, abre-se uma janela. e a vida continua.
Beijinhos e força miuda, amanhã vai ser melhor

Pescador disse...

Olá Joana !!
Vim aqui parar .. na verdade já não sei donde vim ... de um zapping de blogs !!
Andei a passear pelas tuas estórias e pelo ponto jota !!
Ainda bem que esta história já tem um certo tempo... é sinal que o tempo passou ... e as marcas com ele !!
Ou será que não ... que o tempo não passou !!
...
Mas és um pouco dura na generalização que fazes, não !??!
...
De qualquer forma gostei do teu blog e tenho intenção de voltar...
Tens uma sensibilidade .... doce a escrever...

;-) !!

Pescador

Alexandre o Grande disse...

Lindos lábios! ;)

Miguel V. disse...

- Detestas lisboa? Ai malvada! Mas pra passear, beber cultura e copos é do melhor, não?

- Acreditar no amor sempre!

- Amar e desejar? Qual a diferença?

- Ai a precipitação amorosa!

- Procurar alguém no telemovel?

- Já não és adolescente?

- Os sinais sonoros e luminosos estão em nós, não se vendem!

- Manda o tlm fora!

- Homens perdidos e mulheres que se precipitam e iludem, o que será pior?

- Metes tudo no mesmo saco, pá!!!!

- Os homens tal como as mulheres são ou não a mesma merda, sentem ou não da mesma forma, depende, depende de muita coisa!

Lol lol lol lol lol lol

Hoje apeteceu-me comentar de uma forma diferente!

Cumprimentos.

Nekynho disse...

Owa munina mai winda,
Andaste outra vez a rebuscar no baú? Nostalgia? :o)
Expero que extejax bem e que tenhas cuidado de ti ou vou ser obrigado a suster a respiração :o)
Um beijo cheio de carinho de tu e um xi culaxao enome :o)

chuvamiuda disse...

.....não vou dormir descansado sem te deixar aqui....

Beijinho e noite serena :))

Daniela Mann disse...

Texto fantástico, foto espectacular!
Parabéns Joana!
Um abraço,
Daniela

Musician disse...

Linda esta tua historia!
Gostei mesmo muito!
E a imagem é linda, nao fosse ela do "Olhares" =)

"...digo eu com um certo brilho nos olhos, provavelmente embebida de ti muito mais do que das caipirinhas que se repetem..." - tocou-me esta tua frase!

Um beijo*

Alisson da Hora disse...

Bem...se os homens são uns brutos, os anjos ao menos são terriveis...todos...passa no meu blog e mata a curiosidade... ;)beijos... (ah, achei estranho coisas tão presentes na minha realidade, embora eu não goste de forró, fique mais com a caipirinha...)aqui tem mais do que as coisas pitorescas...

Eli disse...

Cheguei!

Tenho-te "visto" por aí e hoje "cheguei"... como em tantas outras...

:)

APIUR disse...

Olá Joana,
Um texto muito bem escrito,(e sentido), numa estória que real,(ou irreal), se converte em mais uma fonte (real)de ensinamentos. Para pensar,(ele ou ela), entre duas caipirinhas, ou mesmo sem elas...
Bjs
Apiur

Fallen_Angel disse...

olá :o)
tens um blog muito fixe :o)
com está estoria fixext me reviver... o meu passado....
ta excelente :o)

(tantas horas eu passei á espera de um sinal dele...)

espero ver te pelo meu cantinho :o)
bom fim de semana :o***

JB disse...

Ops...

Será que todos são mesmo assim?
Sou homem e não sou assim. Reconheço, contudo, que cada vez mais há pessoas (homens e mulheres) sem escrúpulos e sem valor.

Gostei do teu blog.

APIUR disse...

Joana,
Que doces palavras as tuas, Amizade longínqua,
de quem se conhece há já tão pouco tempo.
(Não tendo teu email, tenho que agradecer neste cantinho as tuas Palavras).
E leio de novo a tua estória, que gostaria tanto que fosse impossível de acontecer...neste futuro.
Bjs,
Apiur

e.t.: o nome devo-o a quem me desenhou, quiçá em noite de trovoadas imensas que só África encena no palco deste Mundo.

Eva disse...

:-)

Ainda bem que vais recuperando estórias.

Gostei.

beijo

Eva

Neptuno disse...

há homens que adoram ser brinquedos das mulheres, geralmente é mais comodo...

Eli disse...

:)

KIM PRISU disse...

bom dia com sol interior

I N T E I R O S disse...

Uma maquinação de admitir
Em circulação universal
A pinta que chega á alarmar
Um mudado em cavaqueira

Nestes interiores dados subentendidos
Onde aparece o princípio
Residindo estreitamente aglutinados
O não saber o que nos espera

Os nossos fragmentos
Não se emolduram num descanso
Nem generalidades se podem aclarar por opiniões
Há uns que vociferam em mutismo


Imaturo Garrido quem te afiguro
Na agitação que bufa no ajuntamento
Rodopiar sem intuição de interesse
Abalamos ingerir em pirralhas a procedência

Wakewinha disse...

E é real, né? Pois eu ainda consigo sentir alguma dor... Há coisas que estão destinadas a não ser, por isso não temos que pensar muito nelas, sob pena de nos magoarmos com a irrealidade! =)
Um beijinho*

[Lê e divulga!]

chuvamiuda disse...

.....eu de ves enquando passo por aqui, quem sabe um dia não te encontro.....

Beijinho

chuvamiuda disse...

.....(vez).....

blue note disse...

Vim abraçar-te... dizer-te que por entre os escombros os estilhaços... estarás sempre na minha vida. Que te agradeço muito... que me ensinas tanta coisa.

Beijo-te.

Rui deOliveira disse...

Estes posts são muito bons... concordo com quem diz "será realidade ou ficção?"

Mesmo que seja ficção, já todos passámos por ela... quanto aos homens...

spartakus disse...

b'joka. b'tarde.
( e olha ka flor num é mesmo para mim...lol ).

Joana disse...

Este texto foi o primeiro de muitos que escrevi em 2003. É o primeiro capítulo de um "livro" que está guardado na gaveta.

O que aqui escrevo, não é realidade, mas é sempre baseado no mundo em que me encontro.

Obrigada a todos pelos comentários e pela dedicação!

Beijinhos

Luis Capucho disse...

Olá é só para a convidar a visitar-me.

Bífido disse...

apanhaste o homem errado. comigo errarias muito melhor ;)

Anónimo disse...

Well done!
[url=http://ynddnooj.com/gsbi/ywvd.html]My homepage[/url] | [url=http://bsepkijl.com/ysnr/vnkw.html]Cool site[/url]

Anónimo disse...

Nice site!
My homepage | Please visit

Anónimo disse...

Thank you!
http://ynddnooj.com/gsbi/ywvd.html | http://dsvdaoze.com/jzfo/lthi.html